sexta-feira, 1 de julho de 2011

Intromissão

Eu realmente queria entender
O que te impede de perceber
E de enxergar
A si mesma como eu sei te ver.

É  um erro me intrometer,
Nada consigo intermediar,
Mas uma falha tinha que cometer
Para que me permita reformular.

Eu realmente queria entender
Quais das saudades te fazem criar,
E a razão de alguma delas receber
Me fazer chorar
Sem lágrimas verter.

Eu realmente queria entender
O fato de ter que me  aproximar
Quando me compadeço do seu sofrer
Sem celebrar
Sua suave visão a brilhar de prazer.

Eu realmente queria entender
Você se pondo em baixo patamar
Como os que não tem nada a perder
E não me dizes se podes ganhar,
Com o que quer aprender.

Será que sabes qual é o teu poder?
O que ainda mereces muito conquistar?

Eu realmente queria entender
Se sou eu que te mistifico
Ou é você que posta-se a desprezar,
Desconfiar do teu próprio saber.

Eu realmente queria entender,
O que me faz de longe assim, questionar
Falando de outro corpo, outro lugar
De algo teu, tão particular.

Eu realmente queria entender,
Como, pra ti, não consigo calar?
Podendo, querendo ou sem querer,
Meio planeta desconsiderar.

Eu realmente queria entender,
A minha insistência em te apoiar
Correndo o risco agridoce de ter
Só teu silêncio a me acompanhar.

Eu realmente queria entender
Minha necessidade em registrar
Que cada palavra em que me deixas crer
É como um golpe a me desfolegar.

Eu realmente queria entender
O que ainda me faz mergulhar
No mistério de te compreender
Mesmo com o tempo a nos esmagar.

Eu realmente queria entender
O que nós temos pra compartilhar
E se pudemos nos conhecer
Então, o que explica
O Destino,ao nos afastar?

Eu realmente queria entender
Os meus dedos ardendo de em ti pensar
Meus medos ascendentes de te nomear

Eu realmente queria entender
A causa de certos verbos me fazerem fraquejar

Eu realmente queria entender
Onde termina  o bem querer
E começa o amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário