segunda-feira, 11 de julho de 2011

"Bandeira 2" (Ou "sobre o pudor")

Falei recentemente,
Do que me veio até a mente.

De surgir desejo,
De íntimo lampejo,
De aproveitar ensejo.

Mas prazer é ardor,
De dor e esplendor.

(Pelo menos um pouco,
Excluindo-se o amor,
Se o incluir,
É louco e imenso o poder,
Tanto redentor
Quanto destruidor)

E pejo, agora vejo,
Em suas quatro letras
É sinônimo de pudor.

Que pode ser,
Dependendo do que nos dá a escolha:
Escolho, dificuldade, impedimento,
Ou mais um elemento
Do qual se colha,
Fruto suculento.

Que nós comemos,
Nesse instante,
Nesse momento,
Neste comenos.

Buscamos nos enlevar,
Embevecer,
Extasiar.

Chegar ao limite dionisíaco e voltar.

O cúmulo,
O ápice orgástico
É o que queremos.

O clímax,
O auge,
O extremo,
Nada mais,
Nada menos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário