domingo, 3 de julho de 2011

Mais do Mar

No porto das fragrâncias
Acabei ancorando.

A princesa dos corsários me recebe,
Um olho piscando.

Mar circundando:

Era um retorno,
Feito em torno
De suspiros imemoriais.

Ela sorri
E me mostra o cais.

O que dizer,
Ensaiado por oito anos,
Não sei mais.

Ela apenas desenha na areia,
Pra que eu não permaneça aflito,
Dependendo do olhar,
O oito pode ser infinito.

Horizonte,
Firmamento,
Onde tudo não passa de um momento
Ideograma no alfabeto do tempo.

Que se aprende,
E apreende,
Parcimoniosamente,
Nunca totalmente,

Em cada regresso,
Cada delírio confesso,
Cada atalho que se toma,
Cada flor,
Cada cor,
Cada aroma

Oloroso sintoma
Do fim da dor,
Do odioso coma.

Que eu encerro,
Finalizo,
Quando seus cabelos acaricio,
Aliso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário