sexta-feira, 17 de junho de 2011

Letra Púrpura


Certa noite,
Sonhei que te beijava.
Me lembro também que brilhava.
Como em procissão, tua imagem, coroada,
Caminhava,

Entre os sombreiros.
Sonhei que eras minha por inteiro
E que você, indo como sempre vai,
Permanecia porém, mais que a nuvem que se dilui,
Mais que a silhueta que se esvai.

Abracei-te como pude,
Como não posso agora,
Não passas de cristal no tempo,
Rosto que evapora.

És mosaico, reflexo da aurora.
Fragmento de instante pregnante
Encantando Meu olhar,
Que chora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário