sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Vazio (ou: escrita automática)

Meus dedos tremem,
Tenho pouco pra dizer,
De fato, quase nada.

O que devo temer:
Acumular e não ser,
No desprazer de uma noite perdida,
Desperdiçada.

Sentir o peito doer,
E não ter nada por fazer,
Além de notar as palavras ressentidas,
De qualquer consciência despossuídas.

Toda a antiga verve, abandonada.
Alma ressequida,
Calcinada.


Um comentário:

  1. Vim lhe desejar o melhor ano de tua vida...

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qJJmS-HY234

    ResponderExcluir