domingo, 4 de dezembro de 2011

Renascendo, Pura...

Sensibilidade madura,
Rara imaginação,
Brandura.

Sabe que a felicidade,
Da mesma forma como a paz,
Se faz,
Perpassada pela irmandade.

Permite que a contingência
Temporariamente mude seu plano,
Mente vasta, alma imensa e pacífica,
Tua estrada é o  oceano.

Guarda tuas convicções
Pra quem mais lhe interessa,
Evita discussões,
Sem boas razões,
Não se estressa.

Apesar de tantas certezas,
Pode vacilar em receios,
Sempre a se equilibrar
Entre os fins e os meios.

Tem sim,
Por si,
Muito orgulho,
Mas consegue nadar
Sem se afogar,
No mar do ego,
Depois de um mergulho.

Mutável,
Tendo disso consciência,
Traz consigo pessoas,
Lugares,
Experiências,
Sempre novas,
Supernovas,
Iluminando sua existência.

Espaços onde sua nobreza, lirismo, pureza,
Terminam por fixar residência.

Esses versos,
Dispersos,
Transversos,

Quase desconexos,
Esperam do seu afeto
E ideias variantes,
Uma conivência,
Excitação alegre,
Marcante,
Determinante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário