quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Recaio...

Li sobre a lua,
Enquanto a chuva veio,
Desembaraçada,
Crua,
Sem lei
Ou enleio.

E o teu silêncio chega como  envenenada flecha,
Não vi teu cabelo crescer,
Quis me prender em alguma mecha.

Sabemos: fracassei em meu ansiado envolvimento,
Em ver, não há nada,

Na rede,meneios,
Redondamente enganados,
Os fins ou os meios?

Em rede, apenas mais uma linha cortada,
Outra partida antecedendo a chegada...

Cerquei-te de assédio,
Incomum para meu costumeiro tédio,

Terminando esse por ser meu decisivo traço,
Onde  tudo que de errado faço,

Por mais que me cause arrependimento,
Nuca se acanhará,
Já que maior é sempre o encantamento.

Resultou no que era meu maior receio,
Mais do que minha confusa indecisão,
Era teu tímido e temido bloqueio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário