sábado, 25 de fevereiro de 2012

Inesquecivelmente

É melhor pensar no teu nome,
Do que na minha fome.

Me preocupar em como você vai,
Ao invés de com a chuva,
Que em meu quarto cai.

Imaginar quem, quando e de que forma,
Sabes se ama,

Em vez de lembrar de toda a dureza havendo embaixo da minha cama.

É melhor incensar,
Sem cessar,
Ao sexo sonhado,
Que não se consuma,

Do que realizar
Em qualquer lugar
Que só possas associar
Como dado via algum imperativo,
Vivido com  o grito de "Suma!"

Vendada dentro de densa bruma.

Melhor conhecer como se dão os seus  processos
Que encontrar o que persiste de vão em meus sucessivos insucessos.

Se és um objeto, sobretudo, de afeto,
Sejas, então, meu divã.

Mais livre que ontem,
Mais amada que hoje,
Mais próxima que amanhã.



Nenhum comentário:

Postar um comentário