sábado, 8 de outubro de 2011

Deliciosa Teimosia

Tarde demais,
Já sei que você existe,
E justo por não saber muito mais, além disso,
Me deixa tão encantado quanto triste,
O teu feitiço.

Pode ser masoquismo da minha parte,
Imaginar que me atiro do precipício,
Mas não enlouqueço, te conheço
E pago o preço
Da lucidez,
Extraio, quando me vês
Apoteótico e patético comício.

Tarde demais,
Já sei que você existe,
Por isso destruo minha paz
Quando vejo que desiste.

Se és quem em silêncio parte,
Enquanto teu peito se comprime ,
Sou quem para ti, faz arte,
Desconhecer isso contigo,
Me deprime,
Quero que tua face se ilumine,
Falho,
Nada me redime.

Tarde demais,
Já sei que você existe,
E apesar do teu espírito arisco,
Suporto o peso e me arrisco,
Mesmo temendo ser mal visto.
Ainda te aspiro,
Fundo respiro,
E insisto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário