sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Sub-Ter-Refúgio

Bracelete mágico?
Hoje não,
A cor que agora há,
É o cinza trágico,
De deserção.

Maior que todas as negras escuridões,
E os fios da noite emaranhando padrões.

Correr pra não morrer,
Indefeso,
A corrente de mar,
Que o olhar
Tem pra ver,
O deixa preso,
Tarde demais pra se arrepender.

Você poderia me ajudar,
Tendo algo pelo qual minha madrugada atravessar,
Suponho.

Não reclamo  de pesadelo medonho,
Sou sim, incapaz de ter qualquer coisa com que sonhar,
Se as pálpebras fechar,
Me decomponho.


( "Reverso" de: Desafio IV: Objeto Mágico)

Nenhum comentário:

Postar um comentário