quinta-feira, 12 de abril de 2012

Tempo Fora da Linha

Achei que já tinha gasto,
Todo o tempo que me permiti perder,
Estava errado,
Ao ver teu viver retratado,
Ainda dele não o bastante íntimo, mas por demais intimidado,
Meu espírito insiste em tremer.

O que continua a me absorver?
Continuar preferindo te amar,não te temer...

Sem coragem de pra você olhar
Pra não ter que a verdade encarar,
Me abster de saber,

(Sei que isto escapa ao teu conselho):
Que é mais fácil no seu rosto do que no espelho,
O meu apreço se encontrar,
Meu afeto se reconhecer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário