terça-feira, 13 de março de 2012

(Ex)Pulsão

Não pude dizer a verdade
(Nessas horas, a língua trai a mente):
Me doía ter de ti saudade,
Mesmo te vendo quase diariamente.

Pronto,
Deixei escapar tardia sinceridade
(Tornada "arte", pra minha mera vaidade?):

Mas queria te acompanhar,
Ambos isolados,
Água a precipitar.

A grande diferença,
Entre você e eu,
É que tu tinhas,
Tudo de meritório e teu,
No lugar
Para o qual devia voltar.

No outro lado de uma linha igual,
Essa já é a minha mais forte quase-amizade,
Nunca como antes tratei tão mal,
O abrandamento de uma tempestade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário