quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Autofágico I


Poema insone,
Garganta grita nome some.
Engole antes que me console.

Poema insone,
Boca denta garganta.
Toma lugar.

Come,
Morde cada acorde
Não hesita
Em excitar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário