domingo, 8 de julho de 2012

Olhai: Lótus no Campo

Se morro de saudade de você,
Ou morro de você, Saudade,
É algo que nem minha própria pessoa vê,
Mas sabe que sempre invade.

Acabo me arriscando, sem medo de dizer
Que morro em você,
Sendo essa sim, a verdade.

Meu verso tem a consciência,
De que nunca será mais que a metade,
Nascido que é,
Da carência,
Abstinência
Querência de indefinido objeto,
Desconhecido portador de afeto,

Aquele, que evade,
Se faz ausência,
Antes de se perceber completo.

Um comentário:

  1. A sua inquietação rende bons movimentos poéticos e ritmo agradável.

    Beijo.

    ResponderExcluir